África Subsaariana | Economia

Guiné-Conacri entre os 3 países mais reformadores da África Subsaariana

O ministro responsável pelos investimentos e parcerias público-privadas congratula-se com o regresso da Guiné-Conacri aos negócios. Gabriel Curtis revelou que o país conquistou 27 lugares, desde 2012, no ranking Doing Business estabelecido pelo Banco Mundial para avaliar a qualidade do ambiente de negócios.

“No ranking Doing Business, desde 2012, a Guiné-Conacri fez um progresso real. O nosso país subiu 27 lugares desde 2012. Hoje, estamos no 152º de 190 países. Antes, estávamos quase entre os últimos”, informou o ministro encarregado dos investimentos e da parceria público-privada.

O governante assegura que foram realizadas várias reformas pelo atual governo para melhorar o clima de negócios na Guiné-Conacri. “Isso fez-nos ser citados como um exemplo em 2014, entre os países que fizeram mais esforços para melhorar o clima de negócios. Em 2017, fomos reconhecidos em Viena pelo Banco Mundial como um dos 5 países mais reformadores para atrair investimentos estrangeiros direto”, referiu Curtis.

Em 2019, continua, ” fomos classificados entre os 3 países mais reformadores da África Ocidental porque tínhamos 5 reformas que foram validadas pelo Doing Business”.

Além disso, em termos de competitividade, segundo o ministro Curtis, a Guiné-Conacri tornou-se um país cada vez mais competitivo. “E isso foi reconhecido pelo Fórum Económico Mundial em Davos”, lembrou Curtis.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo