Lusofonia

Empresários da CPLP pedem a líderes políticos que facilitem mobilidade

CPLP

A Confederação Empresarial da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CE-CPLP) exortou os chefes de Estado e de governo dos Estados-membros da CPLP a adotar medidas para facilitar a mobilidade dos cidadãos entre os territórios.

Este pedido está expresso numa resolução aprovada no Rio de Janeiro, no Brasil, durante a reunião ordinária da CE-CPLP, onde a direção da organização expõe três medidas “concretas e imediatas” para que os líderes dos países que integram a CPLP as adotem, de forma a garantir a “mobilidade plena no espaço da CPLP”.

Destas medidas fazem parte a agilização e facilitação da concessão de vistos de entrada nos países da referida organização para “todos cidadãos da comunidade”, a eliminação da obrigatoriedade de vistos de entrada e permanência para “membros das entidades e instituições empresariais, assim como para o empresariado de cada país membro”, e ainda a garantia da “livre circulação de pessoas, bens, serviços e capitais no espaço da organização”.

A CE-CPLP especifica que, no caso de “empresários e homens de negócios”, as medidas permitirão “desenvolver o intercâmbio de negócios”. A organização evoca resultados de reuniões anteriores da CPLP que ainda não avançaram neste sentido.

Recorde-se que o Presidente e o primeiro-ministro portugueses, Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa, respetivamente, já declararam que Portugal está ao lado de Cabo Verde na defesa da supressão de vistos no quadro da União Europeia e da livre circulação de cidadãos na CPLP.

Os países que integram esta organização são Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Guiné Equatorial e Cabo Verde, possuindo este último atualmente a presidência rotativa da organização.

© e-Global Notícias em Português
Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Topo